O presidente do Clube Português de Hudson apontou a necessidade de mais imigração nos Estados Unidos (EUA), num tempo em que a «xenofobia da administração atual está a contrariar a economia» e as necessidades económicas do país.

António Dias Chaves, presidente da assembleia geral do Clube Português de Hudson, em Massachusetts, – clube que celebra o seu centenário em 2019 – afirmou, em entrevista à agência Lusa, que os EUA não têm recebido tantos imigrantes como outros países e que precisam de mais imigração para garantir a sustentabilidade económica.
«Especialmente na agricultura, temos uma necessidade de imigração bastante grande», disse o português imigrado nos EUA há 50 anos e que, já reformado, realiza serviços de aconselhamento de imigração, notariado e tradução.
«A necessidade de imigração é constante na América e a única maneira de nós sobrevivermos e de contribuirmos para a elevação da economia é com imigração», defendeu António Dias Chaves, nascido nos Açores.
O antigo funcionário de vários departamentos estaduais de Massachusetts defendeu que a falta de imigrantes irá provocar «um grande impacto» negativo a curto-médio prazo e que os efeitos irão levar a uma recessão da economia norte-americana, efeitos que estão a ser agravados pela «xenofobia da administração atual, que está a contrariar a economia».
Em Massachusetts, um estado na costa leste dos EUA com 6,9 milhões de habitantes, os imigrantes portugueses também já foram as vítimas principais, olhadas com xenofobia e responsabilização por parte dos nacionais norte-americanos, peso que já passou pelos italianos e irlandeses e que agora está nos ombros dos brasileiros e hispanos, disse o dirigente.
«Como todas as etnias, fomos parte discriminada», contou o representante da comunidade portuguesa em Hudson. «Só porque sobrevivemos com as nossas raízes», acrescentou.
Hoje, a comunidade portuguesa é forte, enquanto outras nacionalidades estrangeiras deixaram de estar tão representadas, afirmou o português.
«Os irlandeses não têm o seu clube irlandês, os italianos… o Bonna Via Club já não existe. Mas o Clube Português de Hudson, que para o ano faz cem anos, ainda existe e continuará, esperamos, a existir por muito tempo», disse o açoriano.
António Dias Chaves é presidente do Clube Português de Hudson há duas décadas e não escondeu o seu entusiasmo pelo centenário que será comemorado no próximo ano com uma série de atividades, sendo uma delas a gala de aniversário, no dia 04 de maio.
O Clube Português é um local de encontro e «o centro de todas as atividades comunitárias em Hudson», pondo ao dispor um edifício espaçoso de dois andares para a realização de eventos e festas de várias associações e sociedades lusófonas de Massachusetts.
A estrutura é de grandes dimensões e muito dispendiosa, o que traz «muita dificuldade» para a sua manutenção, mas vive de voluntariado, contribuições e ajuda de beneméritos, esclareceu o presidente do clube.
Para o evento de dia 04 de maio, na comemoração dos 100 anos, o clube já enviou convites ao Presidente da República Portuguesa, ao embaixador português em Washington, governador de Massachusetts, secretário de Estado das Comunidades, presidentes dos Governos Regionais dos Açores e da Madeira e outras entidades dos dois países, disse o dirigente.

 

Facebook
Twitter
Instagram