Segundo dados atualizados das exportações apresentados pelo Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), em 2017, Portugal alcançou o nono lugar entre os 10 principais exportadores de vinho do mundo.

Em volume, Portugal exportou cerca de três milhões de hectolitros no ano passado, o que em valor corresponde a 780 milhões de euros.
Com 24 milhões de hectolitros de vinho colocados no mercado externo, a Espanha lidera a lista dos 10 principais exportadores mundiais quanto ao volume. No entanto a França liderou em 2017 em termos de valor, tendo chegado aos 9.101 milhões de euros.
Os principais destinos do vinho português foram França, Estados Unidos da América e Reino Unido, totalizando 33% das exportações.
Os bons resultados que o turismo tem vindo a registar, com o aumento do número de estrangeiros que visitam Portugal, ano após ano, têm contribuído para reforçar a promoção dos vinhos nacionais. «Os nossos vinhos são mais conhecidos cá e lá fora», sublinhou o secretário de Estado da Agricultura.
A vitivinicultura é um setor bem organizado em Portugal que «não exige muito» das políticas públicas, disse o Secretário de Estado, realçando a trajetória de crescimento das exportações de vinho nos últimos anos.
«O setor comportou-se de uma forma extremamente profissional», nos diferentes ciclos políticos, disse Luís Medeiros Vieira, em Coimbra, ao salientar que os enólogos «são os grandes obreiros da grande mudança» dos últimos 10 a 15 anos.
Por outro lado, o «excelente trabalho» do movimento associativo tem sido determinante para o aumento das exportações de vinhos nacionais diversos.
O Secretário de Estado da Agricultura intervinha na abertura do Fórum Anual Vinhos de Portugal, que decorreu na antiga igreja do Convento de São Francisco, em Coimbra.
A vitivinicultura constitui atualmente «um setor maduro» da agricultura e da economia nacionais, o que explica a tendência de crescimento das exportações.