Com o objetivo de valorizar a língua portuguesa, o Liceu Francês François Mitterand, no Brasil, promove, até sexta-feira, 9 de novembro, a Semana da Lusofonia.

O evento multidisciplinar reúne contribuições literárias e artísticas de um conjunto de países que falam português. Na terceira edição do evento, a Semana conta com participações das embaixadas de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal e Timor-Leste.
A iniciativa, que começou em parceria com o Itamaraty e a comunidade de países da língua portuguesa, teve a sua primeira edição em 2016 e é completamente aberto ao público. Segundo a diretora de estudos brasileiros da escola François Mitterand, Adriana Huelva, a semana abriga expressões da dança, dos costumes, da literatura, da arte e do folclore dos países participantes.
«O objetivo é apresentar a língua portuguesa e mostrar a cultura destes países para os nossos alunos, pais e para toda a sociedade», explica.
Para agregar ao conteúdo, durante a semana haverá uma conversa com a jornalista e crítica literária portuguesa Isabel Lucas, curadora do Oceanos – Prémio de Literatura em Língua Portuguesa.
«Isabel foi uma proposta da embaixada portuguesa, a gente só convida quem está interessado em participar e acho que foi uma ótima escolha», afirma Adriana Huelva.
Durante a programação, será exibido a longa A gaiola dourada, filme franco-português dirigido pelo ator e cineasta luso-francês Ruben Alves. A película conta a história do casal Maria e José Ribeiro, imigrantes portugueses na França que recebem uma inesperada herança.
A escola francesa, que promove a Semana da Lusofonia, é frequentada por estudantes de 46 nacionalidades e, para Adriana Huelva, o evento fomenta um conteúdo de extrema relevância para a sociedade.
«A gente vê que os alunos aprendem muito e demonstram estarem abertos a novas culturas, dá para ver que eles gostam de fazer parte desse momento. Os nossos alunos são cidadãos do mundo, algumas crianças já passaram por esses países e eles se sentem honrados de participar, além de ser um evento extremamente benéfico para eles e para todos», conclui.