O cravista alemão Andreas Staier atua no domingo, 11 de novembro,  na Casa da Música, no Porto, ao lado da Orquestra Barroca, num concerto com obras de Carlos Seixas e Domenico Scarlatti que gravou no disco “À Portuguesa”.

Scarlatti passou alguns anos da sua vida em Portugal. Em 1720, Scarlatti esteve em Lisboa, foi professor do infante D. António, irmão de D. João V e da infanta D. Maria Bárbara. Foi também mestre-de-capela e professor da Casa Real de 1720 a 1729, durante este período escreveu diversas peças musicais.
Não é a música sacra o género que imediatamente associamos aos dois membros mais famosos da família Scarlatti. Alessandro notabilizou-se como compositor de ópera, alargando a sua influência aos principais centros musicais italianos: principalmente Nápoles e Roma, mas também Veneza e Florença. A música sacra, no entanto, acompanhou o compositor nos seus cargos como Mestre Capela em várias igrejas. O Salve Regina o Magnificat são perfeitos exemplos da intensidade expressiva e do domínio do contraponto por este mestre do Barroco. Já o filho Domenico é conhecido antes de tudo pela sua impressionante e influente obra para tecla, sendo autor de mais de 500 sonatas. O Te Deum terá sido composto e interpretado quando o compositor estava em Lisboa ao serviço da Capela Patriarcal. As restantes obras pertencem a diferentes períodos e contêm exemplos da predilecção pela mistura entre o stile antico e o stile moderno, desde o maior decoro polifónico do Miserere ao brilhante contraponto do motete Te Gloriosus.

DOM, 11/11 ÀS 18:00
Scarlatti Sagrado
Casa da MúsicaPorto