O luso-canadiano Nelson Santos, autarca de Kingsville, no sul do Canadá, reeleito esta semana por aclamação para um quinto mandato, diz que o segredo do sucesso «está nas raízes portuguesas».

«Os residentes dizem-me que trago uma cultura diferente para a comunidade. Tudo porque sou de origem portuguesa. É a oportunidade para fazer a diferença numa comunidade rural», disse à agência Lusa, Nelson Santos de 48 anos.
O luso-canadiano foi reeleito por aclamação no dia 22, nas autárquicas do Ontário, para o quinto mandato à frente do executivo camarário de Kingsville, sendo o único candidato a apresentar-se no sufrágio.
«É uma situação que não se verificava desde 1997. Penso que os residentes estão satisfeitos com o meu trabalho, com a minha liderança e competência», acrescentou.
Filho de emigrantes da Batalha, distrito de Leiria, Nelson Santos, que também é editor no jornal local ‘Kingsville Reporter’, mostrou-se ainda agradado pelo «voto de confiança» dos eleitores para mais quatro anos.
Com um orçamento anual que ronda os 20 milhões de dólares canadianos (13,4 milhões de euros), a cidade aposta no turismo, através da produção de vinho e de cerveja artesanal, como uma das principais atividades.
A recente legalização da comercialização de canábis no Canadá poderá ter um impacto económico positivo na região com o cultivo da droga, previsto para um futuro próximo, mas para já os responsáveis autárquicos mostram-se «preocupados com os efeitos da planta na sociedade local».
Para reforçar o desenvolvimento da região foram criadas 160 novas residências a pensar no crescimento da cidade.
A cidade de Kingsville, localizada no sul do Ontário, tem cerca de 23 mil habitantes, dos quais cerca de dois mil são portugueses e lusodescendentes. As maiores comunidades étnicas são a italiana, portuguesa e alemã.