BILHETE POSTAL
Eduardo Oliveira Costa*
O atentado de há dias contra a Sinagoga nos Estados Unidos, matando muitos inocentes, lembra-nos os
ódios religiosos e a intolerância pela opção religiosa de cada um. Em pleno século 21. São os ataques aos
cristãos nas ‘Ásias’. Aos muçulmanos nas ‘Índias’ . Aos judeus um pouco por todo o lado. Intolerável! Sobretudo quando vemos isso acontecer em culturas evoluídas. Mais grave se torna.
Cada um deve ter o direito de optar pela religião que entender. Ou por nenhuma. Não pode ser perseguido por essa opção. Depois de milhares de anos e tantas guerras ‘religiosas’, depois de tantas dezenas de milhões de mortos por razões religiosas, é lamentável continuar a assistir a essa intolerância.
Ainda mais quando acontece com violência e mortes. Na era digital, da globalização imparável. Do mundo sem fronteiras, cada vez mais. Lamentável.
Há dias, na distante Macau, li que o governo chinês está mais aberto do que nunca a aceitar e respeitar os cristãos e as igrejas e os seus religiosos. Numa liberdade e respeito pelo culto que apraz elogiar, sobretudo porque acontece num país governada por um partido comunista. Boas notícias. Sem dúvida, excelentes notícias. Li e veio-me um raio de esperança de que o mundo está a melhorar. Também neste importante capítulo da tolerância religiosa.
Felizmente, vivemos num país e num continente (o europeu) onde esse fenómeno não se manifesta com preocupante assiduidade e violência. Sobretudo Portugal é um país de total tolerância. Onde cabem todos e onde todos se sentem em casa. Feliz por ser português.
*JORNALISTA, PRESIDENTE DA
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA IMPRENSA REGIONAL