O filme ‘Cem anos de Urgeiriça’, que retrata as minas em Nelas, Viseu, foi premiado pelo Festival Internacional do Rio de Filmes sobre Urânio, realizado em Berlim.

Para o ex-mineiro António Minhoto, também ele distinguido, «este prémio representa toda uma história, toda uma dedicação destes movimentos em Portugal e dos trabalhadores em geral que têm feito uma trajetória muito importante. É o resultado de todo um processo em Portugal que tem motivado os trabalhadores em envolverem-se nestas questões ambientais, sociais e até de saúde».
«Portugal tem uma grande importância porque temos um grande papel de introdução de exploração, das difusões a nível mundial e também no nuclear. Portugal foi o primeiro a contribuir com urânio para a criação da bomba nuclear», contou.
Um prémio, segundo diz, que a organização atribuiu pela luta que tem travado nas últimas três décadas em prol da compensação dos trabalhadores e das suas famílias e para a recuperação ambiental das minas de urânio da Urgeiriça que se situam na freguesia de Canas de Senhorim, concelho de Nelas, distrito de Viseu.
«Não esperava ter esta honra em nome de Portugal, que contou com a presença da embaixada portuguesa e do governo alemão nesta distinção que me deixou, de facto, orgulhoso e, como representante desta causa, alargo esta honra a todos que têm contribuído», disse António Minhoto.
Segundo Márcia Gomes de Oliveira, diretora da organização do festival, «é um filme excelente para abrir os nossos olhos sobre a história desta mina de Urânio no centro-norte de Portugal, que é uma das mais antigas do mundo e que foi explorada primeiro pelos ingleses para fornecer rádio para o laboratório de Marie Curie e depois com participação do governo dos Estados Unidos para o Programa Manhattan».
O International Uranium Film Festival Rio foi criado em 2010, no Rio de Janeiro.

Facebook
Twitter
Instagram