Jogador está a ser acusado, por uma mulher norte-americana, de violação. O caso aconteceu há nove anos.

Ronaldo vai ser ouvido, mas não como acusado. O esclarecimento veio do porta-voz da polícia de Las Vegas, Jacinto Rivera, segundo o qual o português “não está acusado de nenhum delito. O mais provável é que Ronaldo seja ouvido, mas como pessoa interessada nos acontecimentos e não como arguido”, disse jornal italiano “Tuttosport”.
Além disso, Rivera acrescentou que as provas contra Cristiano Ronaldo entregues por Kathryn Mayorga à polícia, em 2009, não terão desaparecido, mas não confirmou em que consistiam as provas. Desmente assim que as provas se tratavam das roupas de Mayorga depois do alegado incidente ou do seu certificado médico.
O acordo entre Cristiano Ronaldo e a mulher que o acusa de violação, no valor de 375 mil dólares, terá sido imposto pelo Real Madrid, o clube com que o português assinou nesse verão.
Ronaldo não quis pagar à norte-americana, convicto da sua inocência, mas o clube madrileno, que pagou 94 milhões de euros por ele ao Manchester United nessa altura, obrigou o português a pagar, de modo a não prejudicar a imagem do clube.