Vasco Brazão foi porta-voz da Polícia Judiciária Militar e é um dos arguidos no caso de Tancos.

O Ministério da Defesa confirma que o major Vasco Brazão subarrendava de forma ilegal um apartamento das Forças Armadas.
A confirmação chega depois de várias denúncias feitas ao Instituto de Ação Social (IASFA) sobre casas em Lisboa a serem usadas indevidamente como alojamento turístico.
Fonte do gabinete do ministro Azeredo Lopes confirma agora que o ex-porta voz da Polícia Judiciária Militar está entre os militares que subarrendava ilegalmente a casa do Estado em proveito próprio.
Vasco Brazão é também arguido no caso de Tancos.