Manuela Júdice divulgou a programação de Portugal, escolhido como país tema desta feira do livro da América Latina.

A comissária da participação portuguesa na Feira do Livro de Guadalajara, que decorrerá de 24 de novembro a 2 de dezembro, apresentou esta semana, naquela cidade mexicana, a programação oficial de Portugal, escolhido como país convidado desta que é a maior feira do livro da América Latina.
Sobre a escolha de Portugal, o presidente da Feira do Livro, Raúl Padilla López, adiantou que esta quis assinalar os 154 anos de relações diplomáticas entre os dois países.
A programação portuguesa já tinha sido divulgada praticamente na íntegra há várias semanas, quando foi anunciada a presença de mais de 40 escritores portugueses, e alguns do espaço da lusofonia, além de outros nomes da cultura portuguesa, do teatro ao cinema, das artes visuais às artes plásticas e à arquitetura.
Ao longo da feira, o pavilhão de Portugal acolherá encontros de escritores e editores, sessões de leitura e apresentações de livros. É lá que estará também uma livraria com cerca de mil títulos em espanhol e português, e um espaço da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), focado na economia da cultura.
«Para nós, a cultura também é negócio, também é economia, é muito importante», frisou Manuela Júdice.
Entre os autores portugueses que estarão presentes na feira contam-se António Lobo Antunes, Manuel Alegre, Hélia Correia, Lídia Jorge, Dulce Maria Cardoso, Teolinda Gersão, Nuno Júdice, Gonçalo M. Tavares, José Luís Peixoto, Ricardo Araújo Pereira, e editores como Zeferino Coelho, Bárbara Bulhosa e Francisco José Viegas.
Germano Almeida, Mia Couto e José Eduardo Agualusa, três nomes da literatura africana e lusófona, seguem também na comitiva portuguesa.
Considerada a maior feira do livro da América Latina e a segunda maior do mundo (depois da de Frankfurt, na Alemanha), a Feira do Livro de Guadalajara conta anualmente com mais de 800 mil visitantes repartidos pelos nove dias, mais de duas mil editoras de 47 países, e mais de 700 escritores de diferentes línguas.