Já estão confirmadas equipas de África do Sul, Brasil, Espanha, Holanda, Índia, Irão, Japão ou Paquistão para a primeira edição do ART&TUR Factory, que vai decorrer este mês.

Estes são os primeiros participantes na ART&TUR Factory, competição paralela ao ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo, que vai acontecer em Leiria, de 23 a 27 de outubro.
«A ART&TUR Factory é uma iniciativa inovadora, que se estreia este ano no festival. A ideia é que realizadores de todo o mundo gravem e produzam pequenos filmes promocionais da região, que serão depois exibidos numa sessão especial do certame. É um verdadeiro desafio, uma vez que os realizadores têm de criar, gravar, editar e finalizar um filme turístico em poucos dias», refere a organização do festival.
Os filmes terão a duração de 2 a 3 minutos e são obrigatoriamente rodados em aldeias do Centro de Portugal integradas nas redes das Aldeias Históricas de Portugal e das Aldeias de Xisto.
Uma das equipas confirmadas vem do Japão e é liderada pelo produtor Tsuyoshi Kigawa, que encara com grande satisfação a oportunidade de filmar no nosso país.
«Tenho muito interesse por Portugal: foi o primeiro país ocidental com quem os japoneses contactaram e a sua cultura influenciou uma parte da Ásia. Por outro lado, até há poucos anos não havia muito interesse no Japão em receber turistas. Portugal está mais avançado nessa área e quero aprender com os portugueses. Além disso, o Japão também tem um problema sério de abandono das aldeias no interior. Queremos aprender algumas soluções para o problema com este projeto», adianta Tsuyoshi Kigawa. E acrescenta: «A ART&TUR Factory permite-nos também conversar e trocar ideias com equipas de outros países, além de filmar. Queremos levar essa aprendizagem para o Japão e realizar melhores filmes de turismo do Japão».
Também o produtor/realizador brasileiro Marco Calábria aguarda com expetativa a sua participação na ART&TUR Factory.
«A credibilidade, a visibilidade e seriedade do festival e de seus organizadores levou-nos a aceitar o desafio. É evidente a preocupação em promover o destino Portugal e o Festival fá-lo com muita seriedade e profissionalismo. Esperamos superar o desafio, pois é necessário destreza e agilidade para produzir um filme turístico com qualidade e criatividade em pouco tempo, que traduza em alguns minutos as belezas, sabores e saberes e uma região tão linda como o Centro de Portugal. Portugal é muito recetivo, um país cheio de histórias e peculiaridades», destacou Marco Calábria.
As equipas têm três dias para filmar, mais dois para editar e concluir os filmes. Estes serão apresentados ao público e ao júri do Festival no dia 25 de outubro, às 17H45. O vencedor da ART&TUR Factory será anunciado no dia seguinte, na Gala de Prémios ART&TUR 2018.