Foi publicada a portaria que regulamenta o novo programa de incentivo à produção cinematográfica e audiovisual e captação de filmagens internacionais, um dos programas previstos no Fundo de Apoio ao Turismo e Cinema.

Segundo a Secretaria de Estado do Turismo, este incentivo “é um dos mais competitivos da Europa” ao definir um prazo máximo de 20 dias úteis para a apreciação dos pedidos e ao permitir um cash rebate (reembolso) até 30% das “despesas em projectos de elevado impacto económico e/ou cultural”. Este instrumento será gerido pelo Turismo de Portugal em articulação com o Instituto do Cinema e do Audiovisual.
Podem candidatar-se a este incentivo (sujeito a um teste cultural) obras com distribuição internacional, produzidas total ou parcialmente em Portugal com relevância para a promoção internacional e cultural do país.
A dotação anual dos novos benefícios para a captação de filmagens internacionais será de 10 milhões de euros em 2018, aumentando para 12 milhões entre 2019 e 2022.
Um grupo de produtores norte-americanos está, esta semana, em Portugal a fazer “scouting” de locais e cenários para filmagens no nosso país, numa visita de reconhecimento.
O Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, afirma que “este incentivo irá promover a captação de filmagens que destaquem os recursos locais e o património português, o seu território e cultura. É um importante instrumento de atracção de investimento estrangeiro na área do cinema e do audiovisual e dará merecida visibilidade externa ao nosso país”.
A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, sublinha que “Portugal tem tudo para ser o melhor destino de filmagens do mundo. O instrumento agora criado é a peça chave que faltava para sermos o destino mais competitivo da Europa”.