Benfica foi punido pelo Conselho de Disciplina da FPF com um jogo à porta fechada.

O Benfica considerou esta terça-feira “ilegal” a decisão de interditar o Estádio da Luz depois dos acontecimentos que ocorreram no Estádio António Coimbra da Mota, na época passada. Em nota publicada no site oficial, os encarnados mostraram-se inconformados com a decisão e falaram numa decisão “absolutamente ilegal, infundada e injusta”.
Em causa está, segundo afirma o acórdão, a responsabilidade do SL Benfica pelo comportamento dos seus adeptos durante o jogo Estoril vs SL Benfica, de 21.04.2018, traduzido no arremesso de algumas tochas para o terreno de jogo, aquando da celebração dos golos do SL Benfica.
O SL Benfica considera a decisão tomada em reunião restrita do CD FPF absolutamente ilegal, infundada e injusta, tendo em conta os factos e a prova produzida, uma vez que:

. O jogo foi disputado pelo SL Benfica na condição de equipa visitante, e não no Estádio do SL Benfica. Como tal, não era o SL Benfica o promotor do espetáculo desportivo;

. Assim sendo, era à equipa visitada (e não ao SL Benfica) que competia assegurar a segurança do jogo, designadamente, a contratação de policiamento e de assistentes de recinto desportivo, realizar a revista de pessoas e bens, proibir a entrada de objetos proibidos ou perigosos no estádio e, em geral, o garantir da ordem e da disciplina no recinto desportivo;

. Não foram identificados, detidos nem expulsos do estádio os adeptos autores dos arremessos – obrigação esta que competia aos assistentes de recinto desportivo e às forças de segurança;

. Ficou provado, que mesmo nos jogos realizados fora de casa, o SL Benfica faz-se acompanhar do seu Diretor de Segurança e/ou do Diretor de Segurança Adjunto, e do Oficial de Ligação aos Adeptos;