A Câmara do Porto vai lançar em Setembro uma “espécie de ‘simplex’” para o Alojamento Local no Gabinete do Munícipe que permitirá realizar o licenciamento zero e, em simultâneo, o registo para a taxa turística.

O vereador da Economia, Turismo e Comércio da Câmara do Porto, Ricardo Valente, revelou à agência Lusa que, para agilizar o processo do registo do Alojamento Local (AL), está a ser desencadeado um processo que pode ser comparado a uma “espécie de “simplex”” para o Alojamento Local e que permitirá “fazer o licenciamento da base zero para o AL” e, em simultâneo, fazer o “registo junto da plataforma da taxa turística”, sem perder tempo e como forma de simplificar a burocracia.
“Estamos a agilizar um processo em que as pessoas, quando fazem o licenciamento zero para o AL, fazem automaticamente o registo na taxa turística”, disse, salientando que até agora estes dois serviços não estavam integrados.
Até ao mês de junho passado, a receita da taxa turística no Porto, que entrou em vigor dia 01 de março, tinha ultrapassado os “2,2 milhões de euros”.
Fonte do gabinete de comunicação da autarquia apontou a “habitação”, a “mobilidade” e a “limpeza” como os três eixos privilegiados para “a actuação da taxa turística”.