O guitarrista português Mané Fernandes leva o projeto “The Mantra of the Path Lotus” ao Ténis do Parque de Serralves. É a primeira de três propostas para ver e ouvir até ao final do mês.

Há mais jazz para além do mainstream e da vanguarda e é esse que vamos ouvir”. A promessa é da Fundação de Serralves que assim nos introduz a 28ª edição do Jazz no Parque, que aterra no Ténis já no próximo sábado.
Com curadoria de Rui Eduardo Paes, o primeiro a dar música ao público vai ser o guitarrista de jazz português Mané Fernandes acompanhado do projeto “The Mantra of the Path Lotus”. O grupo que cruza jazz e hip hop é integrado por José Soares (saxofone alto, clarinete baixo), Ricardo Coelho (vibrafone, percussão electrónica, sintetizador), Pedro Vasconcelos (bateria) e alguns convidados – Gonçalo Moreira (teclados) e Nick Jurd (baixo eléctrico).
Uma semana depois (14) entra em cena Lucía Martínez e o seu mais recente projeto, “The Fearless”. A baterista e percursionista galega já viveu no Porto mas está atualmente radicada em Berlim e é o projeto que desenvolve na Alemanha que vem apresentar a Portugal.
A fechar, dia 21 de julho, é a vez de um quinteto de várias nacionalidades com base em Amesterdão (só Yedo Gibson, brasileiro, é exceção, uma vez que reside em Portugal), os Naked Wolf, atuarem no Porto. O grupo, que cruza o jazz com vários estilos musicais – rock, pop, folk – é conhecido “por uma música que nunca para quieta” e é essa que vai oferecer ao público portuense no último sábado de Jazz no Parque, em Serralves.
Os concertos são sempre às 18h00 e têm um custo de 10 euros (metade para os Amigos de Serralves).