O presidente do Sporting acusa o Presidente da Assembleia da República e outros políticos de difamação e calúnia. Marcelo Rebelo de Sousa também está na mira de Bruno de Carvalho.

Bruno de Carvalho fala de “críticas violentíssimas” por parte do presidente do Assembleia da República.
“Não posso aceitar que a segunda figura do Estado tenha sido mais taxativo e belicista, fazendo-me uma crítica violentíssima, não tendo a mínima noção do cargo que ocupa e da sua condição de sócio do Sporting Clube de Portugal.
Em causa, as declarações de Ferro Rodrigues sobre os ataques de adeptos à Academia de Alcochete. O presidente do Assembleia da República acusou Bruno de Carvalho de ter colocado o Sporting na “miséria” e pediu uma investigação aos dirigentes desportivos “e aqueles que fazem do futebol português uma desgraça”.
Na nota que enviou à agência Lusa, o presidente do Sporting volta a recusar qualquer responsabilidade no que classifica como “ato hediondo” e deixa também críticas ao Presidente da República.
Na quarta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa confessou sentir-se “vexado” pela gravidade do que se passou em Alcochete e não quis confirmar se vai estar na final da Taça de Portugal no domingo.