Jorge Jesus deixou esta madrugada as instalações da GNR do Montijo, sem prestar declarações. Atrás do técnico saíram vários jogadores, também em silêncio.

Não havia, pelo que foi possível apurar, um único dirigente a acompanhar treinadores e jogadores.
Rodrigo Battaglia, um dos primeiros a deixar o posto, há algumas horas, já tinha avisado que ninguém iria prestar declarações.
Ainda assim, era esperada uma reação do treinador leonino, que terá sido agredido com uma cabeçada, durante a invasão de um grupo de adeptos, encapuçados, ao balneário da Academia do Sporting, em Alcochete.