Ex-bastonário diz que o código deontológico dos médicos não deve mudar, mesmo que o Parlamento aprove a morte assistida.

Germano de Sousa considera que se a eutanásia for legalizada os médicos que a praticarem devem continuar a ser condenados pela respetiva ordem.
O antigo bastonário da Ordem dos Médicos foi um dos intervenientes de uma conferência na Universidade Católica de Lisboa, ontem, segunda-feira, organizada pela Renascença e pela agência Ecclesia, em que defendeu que a prática da morte assistida deve continuar a ser condenada.
Nesta conferência estiveram também presentes D. Manuel Clemente, Patriarca de Lisboa, que elogiou a forma como este debate pode ajudar a esclarecer consciências e também o médico holandês Théo Boer, que alertou para o perigo de os portugueses seguirem o caminho do seu país.