Representantes de cidades europeias e líderes do setor da indústria estão reunidos hoje, no Porto, para discutir o desenvolvimento de soluções para cidades inteligentes. Este evento é organizado pela Porto Digital, no âmbito da participação do município na rede Growsmarter, que tem por objetivo partilhar conhecimento entre equipas técnicas municipais, empresas da região e startups.

Lançada no início de 2015 no contexto do projeto europeu Growsmarter, esta rede, que conta com apoios comunitários de mais de 25 milhões de euros, tem atualmente 57 cidades a participar no desenvolvimento de soluções com uma forte componente tecnológica.
Liderada por Estocolmo – e contando com a participação de Barcelona, Colónia ou Cork, entre outras cidades -, a rede desenvolveu, nos últimos três anos, um conjunto alargado de soluções, em fase de implementação, que irão ser discutidas e analisadas nos próximos dias.
Estocolmo, Colónia e Barcelona são as “cidades farol” onde vão ser implementadas 12 soluções inteligentes e que servirão de inspiração para os restantes municípios da rede. As soluções serão aplicadas num conjunto de zonas urbanas (centro das cidades, áreas suburbanas e industriais) representativas da realidade das cidades europeias. Os temas selecionados giram em torno de propostas de tecnologia de informação e comunicação avançada, mobilidade urbana e eficiência energética.
Evoluir de forma sustentável
O projeto GrowSmarter é um modelo de organização de cidades do futuro – trabalhando em conjunto no sentido de reduzir o impacto ambiental, fortalecer o crescimento local e melhorar a vida nas cidades. Estima-se que, em 2050, haja mais de seis milhões de pessoas a viver em áreas urbanas. Esta tendência exige uma nova reflexão sobre as cidades – o desenvolvimento de um pensamento inteligente.
A combinação de Soluções Inteligentes, a ser apresentadas em contexto urbano, procura satisfazer as necessidades de três pilares de sustentabilidade: social, ambiental e económico. O projeto, além do potencial para criar o equivalente a 1.500 postos de trabalho em toda a Europa, visa reduzir o consumo de energia em cerca de 60%, bem como reduzir em 60%, ao nível de projeto, as emissões de transporte na União Europeia.
Liderado por parceiros europeus, incluindo ICLEI – Local Governments for Sustainability, entidades de tecnologia ambiental e autoridades locais, este projeto insere-se no programa Horizonte 2020, da Comissão Europeia, e terá a duração de cinco anos.
Facebook
Twitter
Instagram