O presidente da Junta de Freguesia do Marco, onde nasceu Belmiro de Azevedo, disse que a morte do conterrâneo “é uma grande perda”, lembrando o empresário como “alguém sempre próximo das suas origens”.

“É uma grande perda e lamentamos a sua morte. Foi uma pessoa que nunca virou as costas às origens”, afirmou Celso Santana, em declarações à Lusa, comentando a morte de Belmiro de Azevedo, hoje, aos 79 anos.
O autarca disse que Belmiro de Azevedo se deslocava a Marco de Canaveses todos os fins de semana, concretamente à localidade de Tuías (atualmente incluída na Freguesia do Marco), onde nasceu e tinha casa. Quando estava no concelho passava a maioria do tempo em casa a descansar, acrescentou.

Facebook
Twitter
Instagram