Quinze utentes, entre eles um casal, encontram-se presentemente no Centro de Acolhimento de Emergência de pessoas em situação de sem-abrigo, aberto em setembro nas antigas instalações do Hospital Joaquim Urbano.

Criado para meio ano, este projeto-piloto, nascido de uma parceria entre Câmara do Porto, Instituto da Segurança Social e Centro Hospitalar do Porto, poderá ser estendido no tempo e alargado a 35 utentes. É esta a intenção do Município.
Em visita ao local, o presidente da Câmara realçou o modo positivo como esta experiência está a funcionar, integrada numa estratégia local de apoio aos sem-abrigo e resultante de “uma articulação perfeita com um conjunto de parceiros importantes”.
“É bom que o país se empenhe nesta matéria e se o Porto puder fazer o seu papel, ótimo” – considerou Rui Moreira, depois de lembrar que em causa está “um problema universal das sociedades mais desenvolvidas”, o qual “não pode ser escondido”.

Facebook
Twitter
Instagram