A Red Bull Air Race no Porto e em Gaia, a 2 e 3 de setembro, representa um investimento de seis milhões de euros. Cada autarquia avança com 225 mil euros e não haverá bancadas pagas.

Na conferência de imprensa desta quarta-feira em que foi apresentada a realização da etapa em Portugal, Melchior Moreira, presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, anunciou que metade dos seis milhões de euros serão assumidos pela Red Bull internacional. E os outros 50%, ou seja três milhões de euros, correspondem à comparticipação das câmaras e do Turismo de Portugal que é parceiro desta iniciativa, tal como a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N). Aquele responsável destaca que este investimento, que terá financiamento europeu, é “minimamente aceitável para o retorno que vai ter”. E nota ser este o evento de fim de semana com maior retorno.

Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, concretizou depois que as duas autarquias irão avançar o mesmo valor, 225 mil euros cada, e destacou a candidatura a fundos europeus (através do Portugal 2020 e do Turismo de Portugal).

Além disso, o autarca sublinhou que “não haverá bancadas pagas”, garantia depois reforçada por Melchior Moreira, que assegurou “a gratuitidade” de todo o evento para os espetadores. Rui Moreira prometeu ainda “muito poucos constrangimentos” na cidade e lembrou que, quando a prova deixou de ser realizada após a última edição de 2009, isso “causou consternação”.

Facebook
Twitter
Instagram