São muitas as histórias, várias as causas, mas o mesmo desfecho – o abandono. Todos os dias, chegam novos inquilinos à Sociedade Protetora dos Animais do Porto, que atualmente alberga cerca de 650 cães e 50 gatos, todos à espera de um lar.

A própria instituição vive na indefinição. Há 12 anos que tem o abrigo provisoriamente instalado no antigo matadouro municipal do Porto. A solução definitiva tarda.

Ermelinda Martins, presidente de direção há 14 anos, refere que as causas de abandono variam, mas as principais são a emigração, os divórcios e a falta de condições, que depois levam à entrega dos animais nos canis. Apesar de as férias serem, habitualmente, uma época mais propícia ao abandono, Ermelinda Martins diz que o fenómeno se regista durante todo o ano.

Facebook
Twitter
Instagram