O Vintage House Hotel, em Alijó, que abriu em 1998 e foi um dos primeiros hotéis de luxo do Douro, está a ser alvo de um “refrescamento” pela empresa The Fladgate Partnership que prevê a sua reabertura no início de março.

“A nossa visão é que o Pinhão seja o coração do turismo de qualidade no vale do Douro”, explicou Adrian Bridge, diretor-geral da holding que se dedica à produção de vinhos e ao turismo e que adquiriu o imóvel em outubro de 2015 depois de o ter vendido em 2002.

O hotel, que está localizado junto ao rio Douro, na freguesia do Pinhão, foi adquirido em conjunto com um terreno contíguo de 14 mil metros onde a empresa quer remodelar os antigos armazéns da Casa do Douro e construir mais 25 quartos, um jardim, um restaurante e um centro de visitas.

A primeira parte da obra, de refrescamento e ampliação do Vintage House, deverá estar concluída no final de fevereiro e Adrian Bridge, para quem este é um hotel que “precisa de amor”, espera mesmo que o hotel reabra no início de março.

Orçada em 1,1 milhões de euros, esta primeira fase consiste em obras de remodelação, decoração, pinturas exteriores e interiores e construção de cinco suites que se juntam aos 43 quartos que o hotel já tinha.

A próxima fase do investimento, estimado em cerca de 10 milhões de euros, deverá arrancar na primavera de 2017 e estar concluída em 2019.

A The Fladgate Partnership é proprietária das casas de vinho do Porto Taylor’s, Fonseca, Croft e Krohn.

A empresa está presente em Portugal desde 1692 e, nos últimos anos, expandiu na área do turismo, não só com o hotel The Yeatman, em Vila Nova de Gaia, mas também com um novo centro de visitação na Quinta da Roêda, localizada ao lado do nova unidade hoteleira do grupo.

Já este ano, a empresa irá apostar num novo centro de visitas da Taylor’s, em Vila Nova de Gaia, que resultará de um investimento de um milhão de euros.

Facebook
Twitter
Instagram