A Misericórdia do Porto inaugura na terça-feira, dia 12 de Maio, o espaço “Mãos à Horta!”, dedicado à criação de hortas em vários níveis de terreno de modo a que possam ser tratadas por pessoas com problemas de mobilidade ou postura.

Actualizado 13-05-2015 13:44

Destinadas, para já, a 110 utentes do Centro Integrado de Apoio à Deficiência (CIAD) da Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP), a objectivo é abrir estas “hortas acessíveis ao público”, disse fonte da instituição à agência Lusa.
Com uma área de 1600 metros quadrados, o espaço tem a terra elevada “a múltiplos níveis” para que todos possam aceder ao cultivo, “independentemente da sua mobilidade ou postura”, incluindo se usarem cadeira de rodas.

No futuro, deverá ser “este tipo de público” que a SCMP pretende disponibilizar terra para a prática da agricultura em “três tipos de hortas”

A instituição explica, em comunicado, que o projecto é constituído por hortas “adaptadas” e “elevadas”, para além das comuns, “que permitem um trabalho tradicional de cultivo e floricultura”.

No que diz respeito às hortas adaptadas, estes são “espaços de cultivo elevados a 80 centímetros, rodeados por lajetas de cimento”, de forma a permitir “um trabalho no terreno por parte de pessoas que se deslocam em cadeiras de rodas”.

“As elevadas consistem em terrenos subidos a sensivelmente 50 centímetros e rodeados por fardos de palha. Este sistema permite que o terreno seja trabalhado com os clientes sentados na palha, diminuindo a fadiga da tarefa e aumentando o tempo de permanência na mesma”, acrescenta a SCMP.

A instituição constata que a jardinagem e agricultura são “estratégias de intervenção para o trabalho de múltiplos conceitos e competências”, nomeadamente “a relação espacial e temporal”, as “relações sócia afectivas, o acto de cuidar e tratar, a participação activa num processo construtivo e de transformação”, assim como de “estimulação sensorial”.

Facebook
Twitter
Instagram