Os autarcas da Área Metropolitana do Porto (AMP) decidiram hoje solicitar ao Governo que reduza de 30 para 10 anos a idade dos edifícios de habitação social objeto de reabilitação no âmbito de fundos comunitários do Portugal 2020.

Em reunião do Conselho Metropolitano do Porto (CmP), realizada em Valongo, o presidente da Câmara da Maia, o social-democrata Bragança Fernandes, alertou para o facto de ter saído um aviso de fundos comunitários para reabilitação de habitação social que apenas permite candidatar edifícios com idade superior a 30 anos.

“Mais uma vez não podemos concorrer”, lamentou, considerando que os autarcas perderam “mais uma vez o comboio e o dinheiro vai ser desviado para Lisboa”.

O presidente da Câmara de Gondomar, o socialista Marco Martins, frisou mesmo que o município ainda está a pagar empréstimos para construção e reabilitação de muitos fogos de habitação social com cerca de 20 anos de existência, defendendo também a redução da idade dos edifícios.

O presidente do CmP, o social-democrata Hermínio Loureiro, decidiu então mandatar a comissão executiva para enviar uma carta ao Governo, designadamente ao secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, pedindo a redução da idade dos edifícios de habitação social para 10 anos.

Facebook
Twitter
Instagram